sábado, 5 de novembro de 2011

No Funchal pela 1ª vez há 50 anos

Foi a 5 de Novembro de 1961 que o paquete Funchal entrou pela primeira vez no porto da cidade que lhe deu o nome. Estava "novinho em folha", acabára de chegar da Dinamarca, onde foi construído pelos estaleiros Helsingor, sob orientação do engenheiro projectista Rogério de Oliveira. De casco preto e superestruturas brancas mais parecia um iate, graças às suas linhas elegantes, destacadas quando navegava a mais de 20 nós de velocidade. Há 50 anos estava no Funchal, em viagem de Lisboa para Ponta Delgada. Foi encomendado pela Insulana para a carreira das ilhas, que fez até ao início da década de setenta. Depois, foi reconvertido em navio de cruzeiros, integrando a CTM após o 25 de Abril. Quando o fotografei pela primeira vez tinha estas cores e muitas vezes fretado à Abreu. Com o fim da CTM foi vendido em hasta pública e comprado por cerca de 500 mil contos pelo armador grego George Potamianos, ainda hoje o proprietário do Funchal. Conheceu diversas fases que apesar de tudo mantiveram as linhas originais. Com varias cores de chaminé, foi sobretudo a ré que o navio sofreu as maiores alterações. Primeiro com o prolongamento do tombadilho da piscina que cobriu o poço de manobra da popa e depois com a introdução de camarotes também a ré que alteraram mais a silhueta do Funchal. Mais recentemente, a retirada dos frades e paus de carga deram o novo perfil de um paquete que mantem o mesmo nome há 50 anos. Parabéns Funchal. Muitos anos de vida!Fotos: Luís Filipe Jardim, à excepção da primeira de autor desconhecido e que terá sido obtida de um outro navio e numa das primeiras viagens do Funchal.

4 comentários:

BERMAXO disse...

Me encantan tus fotos de buques antiguos tenian su encanto ahora casi todos los cruceros se parecen saludos

VMF disse...

Olá Luís Filipe

O FUNCHAL é um dos navios da minha vida, sempre tive um carinho especial por ele, fiz duas viagens no navio e parece-me um sonho que ainda esteja connosco

Um abraço

João Abreu disse...

Excelente artigo e fotografias, dignos de um saudoso paquete como o FUNCHAL.
Destas referências que fazes ao passado hoje foi particularmente especial recordar o único sobrevivente da antiga frota de paquetes portugueses. Que viva muitos mais anos!
Parabéns!

Luís Filipe Jardim disse...

Obrigado, gracias.
É verdade. Um navio único. Digno do seu nome, da não menos bela e encantadora cidade do Funchal. Um exemplo de preservação e de dedicação e que hoje se mantem graças ao armador grego (que já é mais português) George Potamianos. Estou a pensar fazer o cruzeiro comemorativo dos seus 50 anos, infelizmente adiado para 2012. Um abraço