quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Cruzeiros e ferries nas atenções dos madeirenses


Os navios de passageiros e a actividade marítima continuam a atrair a atenção dos madeirenses e em particular dos funchalenses que vivem bem de perto o porto da sua cidade. com mais ou menos entusiasmo. Ainda bem que assim é. Não é de hoje. As fotografias, os textos, os cartazes publicitários, etc, disso são testemunho. A história do porto do Funchal é testemunhada por várias gerações de entusiastas de navios ou não. De pessoas que se interessam pela sua ilha, pela sua cidade portuária. E como compreendo isso. Ao meu gosto de infância pelos navios juntei em 1984 o interesse pela fotografia tendo já milhares de registos fotográficos. À fotografia juntei o gosto pela escrita colaborando com a Revista de Marinha desde 1988 e no Diário de Notícias do Funchal, em 1991 e anos seguintes. Nesta "actividade marítima" conheci centenas de pessoas com o mesmo interesse pelos navios. Uns profissionais outros simples entusiastas e com quem aprendi muito. Ainda me recordo de na pontinha ouvir as comunicações via rádio entre o piloto, os mestres dos rebocadores e as operações de terra, quando os navios manobravam ainda dentro do porto. Aprendi com todos. Quando me diziam "olhe que o termo correcto é este e não o que escreveu..." Aceitava com a humildade que deve caracterizar qualquer ser e qualquer sociedade. Só assim evolui ultrapassando o que achava que estava correcto. No Clube de Entusiastas de Navios continuo também essa aprendizagem com quem fotografa, quem colecciona postais, com quem apenas gosta de ver um navio. Um fórum de gente que se interessa por estas coisas do mar e dos navios. Com opiniões que concordo e outras que não. Mas é saudável essa discussão. Afinal é da discussão que nasce a luz, já diz a expressão popular. Há algum tempo lancei este blogue. Podia ter colocado o meu nome ou outro título em inglês. Atenção que este não é um recado a quem optou por essa escolha. A opção que tive foi divulgar os cruzeiros na Madeira, tal como sempre, essa foi uma causa marítima que tenho com muito orgulho. Uma das causas também do clube que ajudei a fundar em 1993. Apoiar os entusiastas de navios no seu interesse cultural e ajudar a promover o porto do Funchal enquanto destino de cruzeiros. Há mais de 150 paquetes que hoje guardam uma simples cresta que registou a sua primeira passagem pela Madeira. Este post surge numa altura em que muito se discutiu sobre a possibilidade ou não de atracação do navio Oriana no porto do Funchal. Verifiquei no meu blogue que este tema e o do ferry da Armas foram os que mais comentários suscitaram. As entidades públicas e privadas devem entender esta troca de ideias como positiva. Significa que os madeirenses querem mais para a sua região, para o seu porto, querem mais para a sua cidade portuária. Interessam-se. Não estão alheios. Esse é um valor que a sociedade não deve perder. Interessar-se. Como madeirense, como entusiasta de navios fico satisfeito com o interesse da sociedade pelos navios e em particular pelos cruzeiros e pelos ferries. Afinal, a industria de cruzeiros representa hoje mais de 400 mil turistas entrados por ano na Madeira. Passageiros que podem voltar caso fiquem com uma boa imagem da ilha. E afinal com o ferry estamos também mais desenvolvidos e com essa auto-estrada marítima ficamos mais ligados ao resto do mundo. Que positivo o interesse das pessoas pelos navios. Afinal, foi através deles que em exclusivo até 1964, data da inauguração do aeroporto da Madeira, ligamo-nos ao mundo. Os navios dizem muito aos madeirenses. O molhe da pontinha foi uma conquista deste povo ao mar... uma espécie de prolongamento da ilha... É natural que gostem de falar destes assuntos do mar, dos navios, da actividade marítima... É natural que se interessem por estes assuntos... AINDA BEM QUE ASSIM É!!! Fotos: Oriana e MSC Fantasia e Costa Marina de Nuno Jesus

8 comentários:

antonio sáez disse...

Muy buena imagen y oportuna del C. Marina hecha por Nuno Jesús. Felicitaciones!. Saludos

Mathieu Burnel disse...

hello,

I'm very happy to discover the Madeira cruise port with your blog!! I think that this port a a great opportunity, and it was a pity that nobody did that before...

I wish you a great end of year

Mathieu B.
Ships Cherbourg

Luis disse...

Obrigado pela sua dedicação ao mar e aos navios, e em particular ao nosso porto, a nossa pontinha. Continue a brindar os madeirenses com as suas opiniões aqui neste blog, que sei que é bastante frequentado, e a dinamizar o Clube Entusiastas.

Continuação de um bom trabalho e, já agora, votos de um Bom Natal e Ano Novo com muitas escalas e peripécias também (porque não?) no nosso porto mãe..

LUIS MIGUEL CORREIA disse...

É natural que quando os navios nos entram pela casa dentro todos os dias, ninguém seja indiferente a estas criaturas e à navegação. Foi assim comigo, tanto no Funchal como no Tejo.
Só é de lamentar que a partir de 1975 se tenha deixado morrer a linha regular com o Continente, entretanto retomada por iniciativa estrangeira recentemente. E não se percebem as resistências ao serviço entretanto tão bem aceite, o qual já podia ter duas ligações semanais.
Nos últimos anos após as trapalhadas do 11 de Setembro de 2001 e as normas securitárias então impostas pelos americanos e a IMO, ir à Madeira e fotografar os navios na Pontinha à vontade era um dos últimos exemplos de um verdadeiro Cais da Liberdade existentes no mundo. Acabou, e desde então o meu estímulo para ir ao Funchal fotografar navios e voltar para casa diminuiu muito.
Entretanto os navios vão sendo mais e cada vez maiores e o espaço para atracação não estica, nem é fácil o seu aumento. É este um dos grandes desafios dos cruzeiros na Madeira.

LMC

BLOG DOS NAVIOS E DO MAR

Tiago disse...

Aida Luna cancela a escala!
Enfim!

Farinha disse...

Gostei em especial, do comentário de LMC, sobre as ligações entre a Madeira e a Europa (Continente) e sobre o diminuto porto do Funchal.
O aumento do Cais Norte até ao Cais da Cidade na minha opinião é possível e não é economicamente oneroso. Haja vontade política, mais nada.
Qual o político madeirense que vai aceitar o desafio? está para nascer?
Recordo o Dr Fernão de Ornelas que contra tudo e todos conseguiu abrir a Rua com a toponímia homenageando este Afoito Presidente da Câmara.
Bom Natal para vós.

Por/By Luís Filipe Jardim disse...

Obrigado pelos vossos comentários. Creio que o porto precisa de ser repensado quer ao nivel de mais cais acostável quer também de outras áreas como as condições para os ferries. Ambas as questões são importantes e também o próprio terminal de cruzeiros. Já imaginaram um aeroporto, mesmo que pequeno, sem um terminal? O cais acostável cresceu também de acordo com a procura e acredito que venha a crescer e a ter mais espaço acostável. Mas são duas questões diferentes ainda que venham a servir o mesmp objectivo de melhorar a oferta portuária. Certo é também que são poucos os dias em que há movimentos em simultâneo. O que aconteceu com o Oriana pode acontecer em tantos portos e tantos portos podem também reconhecer que houve lapsos ou pouco poder de resposta. Acontece. Que fique a reflexão ao que aconteceu com o Oriana.Quanto ao AIDAluna, o vento forte numa superficie vélica como a do AIDA é mesmo impossivel atracar em segurança... de resto é correr com sérios riscos... É assim em todo o lado...

luxa disse...

Gostei muito mas muito mesmo de ler o que escreveu pois notei que foi escrito com alma, com amor aos navios
Continue sempre, nós agradecemos...
PARABÉNS!