sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Marco Polo, ex-Aleksandr Pushkin, de regresso ao serviço da Transocean Tours

Depois de vários anos ao serviço da Orient Lines, o navio de cruzeiros Marco Polo, ex-Aleksandr Pushkin, escala pela primeira vez o Porto do Funchal novamente ao serviço do operador turístico alemão Transocean Tours, para quem navegou entre 1979 e 1984. Uma viagem de cruzeiro em que o antigo paquete soviético é procedente de Fort de France, Caraíbas e segue para Lisboa. Este é um dos sobreviventes aos maçaricos dos sucateiros mantendo-se em actividade desde 1965, ano em que foi entregue pelos estaleiros Mathias-Thesen-Werft, em Wismar, ex-Alemanha de leste, à Black Sea Shipping Company (BLASCO), de Odessa. A primeira escala na Madeira foi no dia de Natal de 1966, de Casablanca para Trinidad.O Marco Polo é o único sobrevivente dos 5 gémeos da classe Ivan Franko, que incluia ainda os paquetes Shota Rustaveli, Taras Shevchenko e Mikhail Lermontov, já desmantelados ou perdidos por afundamento (Mikhail Lermontov). Todos estes irmãos gémeos eram frequentadores regulares do Funchal para onde viajavam ao serviço de operadores ingleses, alemães e italianos. Curiosamente, no fim do ano de 1983 estiveram na Madeira 4 paquetes desta classe. Dois destes navios trocaram de cais para fundear o que causou então algumas confunsões a vários passageiros que julgavam que o seu navio era o que estava atracado quando já tinha ido fundear!!! Outros tempos... No ano seguinte, no fim do ano de 1984, outra classe de paquetes da ex-URSS, a Belorussiya, esteve também significativamente representada com 3 navios gémeos atracados no molhe da pontinha. Outros tempos em que chegavam a estar em simultâneo na pontinha 5 navios de passageiros! Nesse fim do ano estavam também na pontinha o Stefan Batory, da Polónia, e outro navio soviético, o Fedor Shaliapin. No terminal norte o Estonia e fundeados os gémeos Shota Rustaveli e Taras Shevchenko. Pela noite chegou o Black Prince. Um fim do ano dominado pelos soviéticos, tal como aconteceu nas décadas de setenta e oitenta. Recordações bem vivas, não tivesse sido aquele o primeiro 31 de Dezembro das minhas fotografias de navios... O próximo será o 25º ano a fotografar navios no fim do ano! Primeira fotografia de autoria de Nuno Jesus e Postal editado pela Blasco

3 comentários:

Anónimo disse...

Brilhante história!
Como se pode ler, este navio deixa boas recordações junto de muitos.

Por/By Luís Filipe Jardim disse...

Os navios carregam histórias... e é bom sermos testemunhos dessas vivências no Porto do Funchal!

ELVIO GOUVEIA disse...

GOSTEI E SUBSCREVO O ARTIGO POIS ESSES NAVIOS MARCARAM DE CERTO MODO E A ESSE NIVEL A NOSSA GERAÇAO,ERAM OS CHAMADOS NAVIOS DA FOICE E DO MARTELO NUMA CLARA ALUSAO AS CHAMINÉS DOS MESMOS,SE ME É POSSIVEL PEDIR,ADORARIA REVER ALGUMAS FOTOS DOS FINS DE ANO NA MADEIRA(CONCENTRAÇAO DE PAQUETES)DOS ANOS 80 E ATÉ 90.