quinta-feira, 3 de abril de 2008

Passageiros festejam partida do Van Gogh

Depois de ter estado 2 dias arrestado no Porto do Funchal, o navio de cruzeiros Van Gogh deixou hoje a Madeira pelas 18 horas e 40 minutos, largando para Falmouth, Inglaterra. Curiosamente, a largada estava programada para as 18 horas, no entanto, a chegada tardia de uma excursão originou este atraso, pouco relevante atendendo ao acontecimento com grande cobertura da comunicação social madeirense, nacional e estrangeira. Mas a hora da partida foi festejada pelos cerca de 430 passageiros que permaneceram a bordo mesmo após o arresto, não optando por regressar a Londres de avião. Acenos, serpentinas e vários apitos marcaram a saída do Van Gogh que passa agora a ser operado pela Van Gogh Cruises. Recorde-se que o navio foi arrestado a 1 de Abril por decisão do Tribunal do Funchal, após processo de arresto conduzido pela sociedade liquidatária da Travelescope, o afretador inglês do navio ao armador Club Cruise, da Holanda.

2 comentários:

Luís Filipe Jardim disse...

Afinal quem é o culpado? Há vários dados sobre a mesa. Cito aqui um telex da agência de notícias Lusa:
"O responsável pelo cruzeiro, Marcus Neal, explicou hoje que o barco ficou "detido" por a operadora que originalmente fretava a embarcação, a Travel Scope, ter exigido em tribunal "dinheiro do Club Cruise [o armador do navio] pelo cancelamento do contrato".

A situação foi hoje explicada em conferência de imprensa junto ao paquete, que faz desde Janeiro uma viagem ao mundo com mais de 430 passageiros e 250 tripulantes, e que tinha no Funchal o último porto de escala antes do regresso a Falmouth (Reino Unido).

"Em Dezembro do ano passado, a Club Cruise cancelou o contrato com a Travel Scope", de quem era credor. Desde essa altura trabalhou com os administradores para garantir que este cruzeiro à volta do mundo, com início a 04 de Janeiro, se realizaria", acrescentou.

Salientou que desde essa altura "as coisas correram bem".

Só quando o navio chegou ao Funchal foi pela primeira vez informado de que o armador devia dinheiro pelo cancelamento do contrato, acrescentou.

"A Club Cruise tem cerca dois milhões de libras esterlinas a haver da Travel Scope. É absurdo que tenhamos trabalhado com os administradores e que eles agora detenham o navio e não permitam que levemos os passageiros de volta para o Reino Unido", realçou.

Também o comandante do navio, Valeriy Placynda, adiantou que a "Club Cruise não deve dinheiro à Travel Scope. Estão a inverter a história". LUSA

lotto results disse...

Gomen kudasai.