sábado, 15 de outubro de 2011

Do Sun Viking ao Independence Royal Caribbean na Europa desde 1990

A escala de hoje no Funchal do terceiro maior navio de cruzeiros do mundo, o Independence of the Seas, fez-nos recordar o início da década de noventa, quando a Royal Caribbean decide explorar o continente europeu. O primeiro navio da Royal Caribbean, então designada por Royal Caribbean Cruise Lines, a ser posicionado na Europa e a visitar a Madeira foi o Sun Viking, de 1972. A primeira escala no porto do Funchal data de 2 de Maio de 1990, em viagem de Las Palmas para Lisboa. No ano seguinte, a guerra no golfo levou a empresa norte americana de origem norueguesa a cancelar os cruzeiros no Mediterrâneo, que foram retomados no ano seguinte com o Song of Norway, que fez a primeira escala na Madeira a 29 de Abril de 1992. Depois, e até 1995, o navio que abre esta classe de paquetes repetiu as temporadas de verão na Europa e com escalas no Funchal nos cruzeiros transatlânticos. Em 1996, a Royal Caribbean estreou o Splendour of the Seas que visitou pela primeira vez a Madeira a 6 de Novembro desse ano, após a primeira época no velho continente. Nos anos seguintes, a Royal Caribbean estreou outros dois paquetes na Europa, em 1997 o Enchantment of the Seas e em 1998 o Vision of the Seas, que não incluiram escala no Funchal nas viagens para os Estados Unidos da América.A empresa mantinha o Splendour of the Seas reforçando depois a operação com o gémeo Legend of the Seas que em 2001 visitou a Madeira na viagem posicional para a Europa. A entrada ao serviço dos paquetes da classe Radiance, levou a Royal Caribbean a basear em Barcelona, em 2002, o novoBrilliance of the Seas passando também a operar desde a Inglaterra com o gémeo Jewel of the Seas desde 2004.O crescimento do mercado britânico, lider europeu e o segundo maior do mundo, sustentou a aposta da Royal Caribbean na Europa, que mantem desde a anterior temporada de inverno o Independence of the Seas em Southampton para cruzeiros à Madeira, Canárias e costa oeste da peninsula ibérica, e viagens ao Mediterrâneo. No Mediterrâneo, após a aposta da classe Voyager of the Seas ,desde 2006, seguida pelos gémeos Navigator e Adventurer, e este ano Mariner of the Seas, a RCI posicionou também em 2011 um segundo paquete da classe Freedom, o Liberty of the Seas, estreando ainda Palma de Maiorca e Veneza como portos de embarque no Mediterrâneo, juntando-se a Barcelona e Roma. O segundo maior grupo de cruzeiros do mundo, que inclui as empresas Celebrity, Azamara, Pullmantur e Croisières de France, tem priviligiado a Europa e mercados emergentes no velho continente, beneficiando Portugal, com embarques em Lisboa e Funchal, além das inúmeras escalas há 2 décadas.Texto e fotografias: Luís Filipe Jardim

4 comentários:

BERMAXO disse...

Es un espectaculo verlo entrar en el puerto saludos

Antonio Silva disse...

Meu caro Luis,
É gratificante para quem gosta de navios como eu ler o que escreves sobre a história das grandes companhias que escalaram e que continuam a escalar o Funchal.

João Abreu disse...

Excelentes registos dos primeiros navios da Royal Caribbean. Especialmente do SUN VIKING, o único navio dessa classe que não foi alongado.
Resulta bastante bem esta combinação que fazes presente-passado juntando fotos que dificilmente temos oportunidade de ver. Continua a recordar! Parabéns.

Luís Filipe Jardim disse...

Obrigado pelas vossas palavras. Escrevo e publico fotos com muito gosto na partilha de momentos que não esqueço. Felizmente juntei ao meu interesse pelos navios a fotografia. E são milhares de negativos, slides e suportes digitais que relatam a história de um porto e de uma cidade que gosto muito. Obrigado!