quarta-feira, 16 de março de 2011

Recordar paquetes soviéticos


Quando em 1984 comecei a fotografar os navios,a maioria dos paquetes que visitavam a Madeira tinha bandeira da União Soviética. Ao longo dos anos 70, 80 e inicio da decada de 90, os navios soviéticos fizeram inúmeras escalas no porto do Funchal fretados a operadores turísticos de Inglaterra, Alemanha e também Itália. Nos últimos anos, muitos entusiastas, incluindo os de nova geração que nem viram esses navios, têm-me pedido para apresentar publicamente essas imagens desses navios que marcaram uma era no mercado de cruzeiros. A 26 de Março próximo, no hotel Porto Santa Maria, pelas 18 horas , numa iniciativa do Clube de Entusiastas de Navios, terei o prazer de partilhar algumas das imagens que fiz em fotografia e slide nesses anos de domínio soviético pelos portos europeus e não só. É sempre bom ver e recordar os navios Maksim Gorkiy, Odessa, Fedor Shaliapin, ou os paquetes das classes Michail Kalinin, Ivan Franko e Belorussiya, quase todos já desmantelados, retirados do serviço, apesar de alguns sobreviventes.

4 comentários:

Ricardo disse...

Maxim Gorkiy, será isso?
Faço parte dessa nova geração que os viu, mas nem sabia que um dia ia fazer alguns quilómetros atrás de alguns deles (não destes referidos propriamente), para os poder registar.
Gostava de ver essas imagens Luís, agenda lá a apresentação da Revista cá em Lisboa e trás essas imagens na mala! Fica a sugestão.
Já agora quando sai a número 2?

Rui Sousa, Madeira Spotters disse...

:)
Estou a ver que, tal como para os spotters de Aviação, as máquinas Soviéticas têm igualmente um saborzinho especial para os spotters navais...

cumprimentos,

Por/By Luís Filipe Jardim disse...

Obrigado pelos comentários. Originalmente, entre os soviéticos, o navio chamava-se Maksim, mais tarde, apos sucessivos fretamentos aos alemães e numa nova joint venture, alterou para Maxim. A revista sairá entre 7 e 14 de Abril e também deverá ser apresentada em Lisboa, faltando confirmar a data. Os navios soviéticos, alguns são projectos herdados do ocidente sendo poucos os casos originais da URSS entre os navios de passageiros. O mesmo não se passa entre a unidades navais, com um tipo de construção que à distância se identifica logo com navios de fabrico da antiga União Soviética.

Ricardo disse...

Essa do Maksim não sabia. Nunca vi nenhum registo dele com esse nome no casco. Fixe está quase a chegar o segundo número da revista :-)